Fique atenta às cólicas fortes

Tudo começa no endométrio, o tecido que reveste o útero. As células do endométrio são eliminadas pela menstruação, mas podem seguir o caminho oposto e se alojar na cavidade abdominal. E é este processo que chamamos de endometriose.

Diagnóstico

Visualização das lesões por laparoscopia, ultrassom endovaginal, ressonância magnética e um exame de sangue chamado marcador tumoral CA-125, que se altera nos casos mais avançados da doença. O diagnóstico de certeza, porém, depende de uma biópsia.

Sintomas

O principal sintoma da endometriose é uma cólica insustentável, que deixa a mulher de cama e incapaz de seguir com a sua rotina. Fora a cólica, também temos a dificuldade para engravidar, a dor durante o sexo e alterações urinárias e intestinais durante a menstruação.

Devido aos sintomas, muitas mulheres acabam ficando extremamente estressadas e ansiosas. O que pode piorar ainda mais o quadro da doença, pois o estresse libera cortisol e o cortisol inibe a produção de leucócitos (células de proteção). Então segue algumas dicas para lidar melhor com a endometriose:

1)Exercícios físicos

Eles são essenciais para aliviar o estresse e recuperar a imunidade do organismo. O ideal é praticar exercícios aeróbios de 3 a 4 vezes na semana, durante 30 a 40 minutos.

2)Psicoterapia

Outra forma de reduzir o estresse e ansiedade é por meio da psicoterapia. O profissional vai trabalhar todos os aspectos emocionais da paciente que podem estar ligados ao surgimento da doença.

3)Tratamento cirúrgico ou clínico

Os anticoncepcionais e a progesterona são os principais tratamentos clínicos.  A progesterona contribui para regular o ciclo menstrual e preparar o útero para uma possível gravidez, diminuindo a infertilidade causada pela doença.

Os tratamentos cirúrgicos englobam a laparoscopia, um método minimamente invasivo feito através de pequenas perfurações no abdômen. Em casos de sangramentos mais graves, o recomendado é uma cirurgia convencional, em que o abdômen aberto.

Se não tratada rapidamente, a mulher pode se tornar infértil, principalmente se a suas tubas uterinas forem obstruídas, inviabilizando a passagem do espermatozóide.

Faixa etária

A média de idade das mulheres com endometriose é de 32 anos, no entanto a doença pode se desenvolver na adolescência e também após os 40 anos.