Câncer ginecológico: o tabu entre as mulheres

Existem 5 tipos de câncer ginecológico: câncer do endométrio, do ovário, do colo do útero, vaginal e da vulva. Conhece todos?

Infelizmente, muitas mulheres não tem conhecimento de grande parte deles. E pior, são ignorados por elas.

Especialistas acreditam que o câncer ginecológico tende a passar desapercebido pelas mulheres devido a dificuldade que elas tem de falar sobre as suas partes íntimas. Há também a ausência do autoconhecimento corporal, essencial para a perceber quando algo está errado.

Falar sobre seios até vai. Mas falar sobre o que está dentro da calcinha?Jamais! Um estudo recente realizado pelo The Eve Appeal revelou que uma em cada cinco mulheres associa o câncer ginecológico à promiscuidade sexual. Além disso, 40% afirmaram que sentem um estigma maior quando o assunto é câncer ginecológico.

Esse estigma é uma das maiores barreiras que impedem as pacientes de conversar abertamente com os seus ginecologistas sobre as suas partes íntimas. Elas tem medo de serem julgadas.

O medo do julgamento impede um possível diagnóstico precoce,  capaz de salvar uma vida.

É necessário quebrar o tabu, é necessário falar sobre o íntimo da mulher sem parecer vulgar. Não é vulgar, é humano. E o profissional não está lá para julgar ninguém e sim para escutar, orientar e alertar.

Se você sente vergonha, comece conversando com amigas mais próximas ou pesquisando sobre o assunto na internet. Há muitas mulheres que falam sobre isso e que ajudam as outras a enfrentarem esse problema. Porque não conseguir falar sobre uma parte do seu corpo sem sentir promíscua é alarmante.